Bob Seger Greatest Hits, a melhor trilha para pegar a estrada

maxresdefault

Por Almir Santos

 

Tenho um amigo que costuma dizer que uma boa coletânea da Sade em uma noite romântica é tiro e queda. Pois eu tenho uma teoria de que para pegar a estrada não tem nada melhor do que Bob Seger, sempre acompanhado da sua Silver Bullet Band. O cantor, compositor e instrumentista norte-americano está na ativa com seu rock de forte influência country e blues desde meados dos anos 60, com canções em boa parte inspiradas nas paisagens norte-americanas, levando o ouvinte a se imaginar percorrendo a América de costa a costa, desbravando a mítica rota 66, fotografando o Grand Canyon, conhecendo comunidades indígenas e as pequenas e conservadoras cidades provincianas. Seger nasceu em Detroit, cidade que já foi o maior polo da indústria automobilística americana, e tem até hoje o codinome de “Motor City”. Lançada em 1994, a coletânea Greatest Hits, cobre o período 1972-1994, e já vendeu mais de nove milhões de cópias.

 

Nossa viagem começa sobre duas rodas. Em “Roll Me Away”, o viajante reflete sobre qual caminho tomar, olhando a estrada no sentido oeste imaginando o que vai encontrar. Resolve parar em um bar de beira da estrada para tomar uma cerveja antes de seguir viagem. Lá conhece uma garota, que ao ficar sabendo dos planos do forasteiro, olha para o horizonte da janela do estabelecimento e pede para seguir com ele. Na garupa, sentido oeste. Seguimos com a belíssima introdução de violão no começo de “Night Moves”, música em que Seger relembra os tempos de paquera adolescente, os primeiros flertes a bordo do Chevrolet 1967, como diz a canção. “Night Moves” foi um enorme sucesso em 1976 e transformou Seger, antes um artista regional, em astro nacional. A música já foi trilha de diversos filmes. Destaque para a série Supernatural. No episódio “Baby”, os irmãos caçadores de bruxos, fantasmas e coisas ruins em geral cumprem mais uma missão ao som da canção. O Impala 1967 dos irmãos Sam e Dean tem história para contar, na cena abaixo vemos que eles também são caçadores de beldades da estrada.

 

A vida nômade do astro de rock, a cada dia dormindo em um quarto de hotel, de cidade em cidade são vivenciadas em “Turn The Page”. A canção de 1973 ressurgiu com mais sucesso no ao vivo Live Bullet, de 1975. Foi revisitada pelos metaleiros do Metallica em 1998 no seu álbum de covers Garage Inc. Ritchie Sambora e Jon Bon Jovi confessaram que compuseram “Wanted Dead or Alive” inspirados pelo clima do pó da estrada de Turn de Page.

 

Uma parada no acostamento para discutir a relação. A garota diz sob o céu estrelado que precisa ir, mas antes de deixar que ela se vá nosso viajante afirma “Senhora, um dia você vai me acompanhar”. “You’ll Accomp’ny Me, com seu clima mais baladeiro, hora de reduzir para uma terceira, mas não por muito tempo. Logo os motores começam a soar em ritmo cadenciado anunciando a chegada da vida noturna na cidade das luzes, sim chegamos na Califórnia, e tome “Hollywood Nights”. Outra balada, “Still The Same”, fala de jogadores, pessoas vividas e experientes que deixam sua marca em todos os que os conhecem. Seger afirmou que se inspirou para fazer a canção nas personalidades que conheceu na primeira vez que foi a Hollywood. Já regravada, entre outros, por Rod Stewart. “Old Time Rock and Roll”, serve para relembrar os primórdios do estilo nos anos 50, como faz também uma bem humorada crítica de um período em que havia uma “ditadura” do estilo discoteque, deixando pouco espaço para os roqueiros trabalharem. “We´ve Got Tonight”, e Bob Seger comprova seu talento como baladeiro. A canção de 1981 alcançou projeção mundial quando foi regravada em 1983 pelo cantor country Kenny Rogers em parceria com a escocesa Sheena Easton.

Então chega a reflexão de que a vida é uma corrida contra o vento, desde a adolescência, quando é preciso sair da zona de conforto e perseguir seus objetivos até os dias finais. Havia tantas estradas, e nosso viajante estava vivendo para correr e correndo para viver, como os caubóis viajavam, em “Against the Wind”.

 

 

“Mainstreet” é sobre Ann Street, avenida principal de Ann Arbor, Michigan, cidade onde Bob Seger cresceu. O músico recorda as paradas e eventos nos fins de semana na avenida principal, com as garotas dançando nas janelas e as bandas de rythm & blues fazendo seu som. O compositor também se recorda de uma garota que dançava com muito estilo em um clube no centro da cidade.

Canção irmã de “Hollywood Nights”, “ The Fire Inside” também nos leva ao ritmo de uma batida sincopada para uma tentativa de controlarmos nosso fogo interior.

Muitas vezes precisamos nos tornar fortes e duros como uma rocha para aguentarmos os imprevistos da vida, andando pelos caminhos mais estreitos, carregando todo o peso, com o sol queimando a pele, “Like a Rock”.

 

“Ce´st La Vie”, cover do mestre Chuck Berry, também conhecida como “You Never Can Tell”, a versão original foi utilizada na clássica cena de dança entre John Travolta e Uma Thurman em Pulp Fiction.

“In Your Time”, música inédita da coletânea, encerra a viagem com suas profecias e acontecimentos fantásticos. Mantenha-se firme, pois no seu tempo as estrelas ainda tornar-se-ão pedras.

 

Leia:

On The Road – Jack Kerouac (1957)

Livro baseado nas viagens do autor e seu irmão percorrendo os Estados Unidos de costa a costa, chegando até ao México. Marco da literatura beat, estilo literário que pregava a liberdade na linguagem da escrita, bem como uma vida nômade, em oposição a conservadora sociedade americana de então. O movimento beat inspirou os artistas beatniks e pode ser considerado o embrião do movimento hippie.

Assista:

 

Easy Rider – Sem Destino (1969)

 

Dois amigos em suas motos percorrem a América com  o objetivo de chegar a New Orleans e viver uma vida de liberdade. Marco da contracultura americana, com Peter Fonda, Dennis Hooper e Jack Nicholson no elenco.

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + 1 =