Baratos Afins – 40 Anos

32286561_1944942845515788_6555550755892232192_n

Por Almir Santos

 

Boa parte do público que hoje circula pela Galeria do Rock, no centro de São Paulo, principalmente fazendo o típico rolê de sábado com a galera, conferindo as lojas de discos ( os heróicos estabelecimentos que ainda resistem vendendo cds, vinis e até fitas k7 antigos, bem como lançamentos para aficionados), e que hoje disputam espaço com os estúdios de tatuagem, lojas de camisetas de bandas e claro, o pessoal que faz trabalho de serigrafia mais precisamente a partir do terceiro andar, não faz ideia de que frequentar as Grandes Galerias, na Av São João nº 439 era um programa para roqueiros fanáticos que se aventuravam por um ambiente escuro, pouco frequentado, disputando espaço com vendedores de revistas pornô, entre outros membros da fauna marginal do centro de SP. Hoje incluída no roteiro turístico da terra da garoa, essa transformação da Galeria do Rock em point internacionalmente conhecido deve-se, em muito, a chegada de um cara chamado Luis Calanca, que em 1978, fundou a sua Baratos Afins. O termo popular que diz que a necessidade faz o herói cabe aqui na trajetória de Calanca, que era um farmacêutico ainda não formado, que nas horas vagas ouvia seus muitos discos  e que seu único contato com algum ídolo foi quando atendeu o tropicalista Jorge Mautner na farmácia onde trabalhava. Nosso herói estava “grávido” de sua primeira filha e a necessidade lhe obrigou a vender sua coleção de vinis,  foi quando teve a ideia de montar um estabelecimento dedicado ao rock com o cunhado, que já havia sido lojista na Vila Carrão. Assim nasceu a Baratos Afins, fazendo companhia a também pioneira Wop Bop, única loja da Galeria na época.  Imagina a cena, após horas sem aparecer nenhum cliente, chega enfim um sujeito com aparência de quem conhece bastante pop rock e se interessa por um dos mais raros discos da coleção do novo comerciante, e o cara não pensa duas vezes antes de levar um dos itens mais caros da loja. Calanca conclui o negócio chorando de alegria por ver que sua empreitada vai contribuir para o sustento de sua família e ao mesmo tempo em prantos por se desfazer de um disco dos que mais amava. No início conciliando o trampo na farmácia com a loja, em pouco tempo pediu demissão e com a rescisão investiu no visual da Baratos. O resto é história. No encontro com Jorge Mautner, Calanca confidenciou ao músico como não se conformava com o fato de que seu disco “Para Iluminar a Cidade”, de 1972, estava completamente fora de catálogo. E que faria o que pudesse para relançar o disco pela sua loja, um desejo praticamente impossível aos olhos do departamento comercial da gravadora detentora dos direitos do disco. Mesmo sendo um trabalho alternativo os executivos não queriam ceder os direitos a um mero lojista, mesmo sendo um bom pagador e revendedor de seus catálogos. A virada ocorreu quando Suzana, na época mulher de Arnaldo Baptista procurou Calanca interessada em lançar um álbum inédito do ex mutante, que se recuperava após uma queda/ tentativa de suicídio de um hospital psiquiátrico, em 1982. Grande fã de Arnaldo, Calanca ouviu tremendo a proposta de Suzana e não pensou duas vezes em lançar “Singing Alone”, praticamente Arnaldo na voz e violão. Com o tempo a loja se tornou a autoproclamada “A Pioneira dos Independentes”.  A Baratos foi ganhando nome e a confiança das grandes gravadoras, que cederam os direitos de lançamentos de várias raridades fora de catálogo. O selo Baratos Afins também lançou muitos nomes que fariam a história do rock alternativo, o movimento vanguardista Lira Paulistana, bem como nomes da MPB. Que venham mais quarenta anos. Feliz Parabéns, Baratos Afins.

P.S: Agradecimentos ao mestre Regis Tadeu, cujos artigos contando a história da Baratos Afins ( estão no número 10 até o presente momento no perfil do crítico no Facebook) foram fonte de pesquisa.

 

Quem não poderia ficar de fora da festa:

 

Arnaldo & Patrulha do Espaço

 

Criada para ser banda de apoio de Arnaldo Baptista, os discos gravados em 1978, Elo Perdido e o ao vivo Faremos Uma Noitada Excelente só foram lançados no final dos anos 80. Com a saída de Arnaldo,  a Patrulha do Espaço encontrou na Baratos a base de lançamentos de seus novos voos interestelares.

Akira S e as Garotas Que Erraram

 

Longe das paradas de sucesso, o rock dos anos 80 mais vanguardista encontrou na Baratos Afins seu espaço. Como foi o caso do Akira S. Destaque para o jornalista e ex editor da Bizz Alex Antunes nos vocais, sob o codinome de Pedreira Antunes.

Itamar Assumção

 

Paulista de Tietê, o nego dito Itamar Assumção foi um dos nomes mais relevantes da chamada Vanguarda Paulista nos anos 80, ao lado de Arrigo Barnabé, Grupo Rumo, Premeditando o Breque, mostraram que era possível não se curvar aos mandamentos das grandes gravadoras e ser fiel a seus princípios e conceitos artísticos.

 

Minha Loja de Discos

 

A Baratos foi tema da série Minha Loja de Discos, exibido pelos canais Multishow, Bis, entre outros.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *