Libertas quae sera tamen

07

LIBERTAS QUAE SERA TAMEN – 7 dias na estrada pelas Gerais

por Almir Santos

PARTE 1 – Montanhas e Sons

Como o ilustre leitor que tem a paciência de acompanhar este blog deve ter percebido, já faz um tempo que não postamos nada. Mas foi por um bom motivo, estávamos de férias. Ou você pensa que é fácil administrar sozinho um blog como o Neurônios…. Ironias à parte, gostaria de compartilhar alguns dos momentos que vivi entre os dias 15 e 22 de Outubro pelas terras de Tiradentes, Aleijadinho, Chica da Silva, Santos Dumont entre outros. Os sete dias foram na estrada, pelas cidades de Capitólio, Ouro Preto, Mariana (incluída no roteiro quando já estávamos em Ouro Preto), e a “mística” São Tomé das Letras, que não visitava desde 2009. A turnê mineira foi feita na companhia do amigo Fábio Gama, também conhecido como baterista da banda Tempo Sonoro (os caras já bateram um papo comigo, fuça aí).

Resolvi dividir esses momentos em duas partes, essa primeira mais focada nos sons que ouvimos ao percorrer as cidades e citar canções que lembramos e que se encaixariam como uma trilha sonora perfeita para a tour, que chamamos carinhosamente de “Pão de Queijo”.

Prometo para breve a parte 2, essa sim um diário de bordo, com dicas de viagem, serviços, aquela coisa toda.

Dia 15 pela manhã, tudo pronto e partimos pela Fernão Dias a bordo de um Ford Ka preto alugado (não deu nenhum problema, nota 10 para o “terceiro membro” da tour). Essa sensação da vida na estrada me faz lembrar que ainda preciso ler o “On The Road”, do poeta beat americano Jack Kerouac, mas por enquanto vai lá para o final da lista. Dica: saia da cidade grande em direção a sete dias de liberdade ao som de “On The Road Again”, uma faixa mais obscura do Aerosmith, contida na coletânea Pandoras Box. Entre vários papos sobre teorias da conspiração, alimentação saudável, e mulheres (claro, sempre elas), nos alternávamos entre arquivos musicais e a tentativa muitas vezes inglória de sintonizar as diversas rádios pelo caminho, sempre à procura de possíveis novidades.

lo

                                                                                                          Capitólio – MG

Fora de São Paulo percebe-se que ainda tem muita estação que transmite por via analógica, e não digital. Então aquele chuvisco e a interferência de rádios piratas muitas vezes fizeram com que voltássemos para as pastas sonoras. Já nas terras inconfidentes fomos abduzidos por um sonzinho que tocava direto em várias rádios, a música foi chegando de mansinho e acabou grudando que nem chiclete, virou o hino oficial da tour pão de queijo, “Thunder”, do pessoal do Imagine Dragons. Perfeita para desbravar os cânions de Capitólio, viajando naquele rio de uma tonalidade azul que não tem igual ( mais detalhes do passeio de lancha em Capitólio na parte 2).

23120202_1547212568679021_2885276538994777454_o                                                                                                 Ouro Preto-MG

Já nossa segunda parada, Ouro Preto, por ter um perfil mais histórico combina perfeitamente com o som do pessoal do Clube da Esquina. Pode pegar qualquer um, Milton, Lô Borges, Beto Guedes. “San Vicente”, do Milton, seria ideal. Serve para Mariana também, que foi a primeira capital de Minas.

 

Em Ouro Preto, ficamos hospedados no Rock in Hostel, com sua decoração totalmente musical. Posteres de Raul, AC/DC, Elvis, Janis, Amy Whinehouse. Colado no Rock in Hostel fica o Empório Mineiro, onde você pode tomar umas cervejas artesanais com som ambiente de ótima qualidade ( opa, olha as dicas da parte 2 querendo se insinuar). Tomamos duas artesanais ao som de Velvet Underground, The Who, Black Sabbath, Casa das Máquinas…

Ouro Preto, com suas inúmeras igrejas e ao mesmo tempo com suas repúblicas de estudantes passam também um clima de dualidade. Aquela coisa, o sagrado e o profano, espiritualidade versus boemia. Os sinos das igrejas em algum momento nos levam para uma reflexão espiritual, em outros, provocam um clima sinistro, perfeito para ouvir um “NIB”, do Sabbath.

23120109_1547212095345735_5884930210156051462_o

                                                                                          São Thomé das Letras-MG

Última parada, São Tomé das Letras. Com sua aura de mistérios é ainda um reduto do velho sonho hippie, e me vem sempre na cabeça a vontade de ouvir uma Janis, um Creedence, um Zé Ramalho.

Nada melhor do que fazer uma viagem pelo som e pela filosofia do mestre Zé Ramalho da Paraíba. Ouça “Beira Mar”.

 

 

 

 

Trem bão é recordar. E olha que ainda deu tempo de fazer um HOT LIST, sô !!!

 

Thunder – Imagine Dragons

On The Road Again – Aerosmith

San Vicente – Milton Nascimento

Beira Mar – Zé Ramalho

NIB – Black Sabbath

Piece of My Heart – Janis Joplin

Primavera nos Dentes – Secos e Molhados

Lábios de Mel – Tim Maia

Cio da Terra – Pena Branca e Xavantinho

Green River – Creedence Clearwater Revival

 

*Em colaboração com Fábio Gama ( leia também a entrevista com o pessoal do Tempo Sonoro:

Tempo Sonoro

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 2 =