Pulp Fiction – A Trilha Sonora

pulp

PULP FICTION – A Trilha Sonora

Por Almir Santos

Um dos maiores filmes dos anos 90, o clássico de Tarantino marcou época pela narrativa, que entrelaça várias histórias que se cruzam de forma não linear em um roteiro que foge do esquemão hollywoodiano. Os longos diálogos, técnica com forte influência do cinema europeu é uma recorrente na obra do diretor, o que não impediu que o trabalho se tornasse um sucesso comercial. Cabe destacar que Pulp Fiction conquistou a Palma de Ouro do Festival de Cannes de 1994, e várias indicações ao Oscar, além de dar um novo fôlego para a carreira de Jonh Travolta, que estava em baixa e aceitou viver o personagem Vincent Vega por algo em torno de 100 a 140 mil dólares.

O mesmo bom gosto o diretor teve na composição e pesquisa da trilha sonora, uma muito eficiente mistura de surf music, soul, rock e funk. A Trilha Sonora é composta por dezesseis faixas, sendo que algumas são diálogos extraídos do filme. A Trilha chegou a emplacar a 21ª posição no Top 200 da Billboard, apresentou o guitarrista Dick Dale para uma nova geração, e hoje, mais de 20 anos depois é considerada uma das melhores trilhas sonoras do cinema.

A Trilha faixa por faixa

Pumpkin and Honey Bunny / Misirlou – Dick Dale & His Del-Tones

O diálogo entre o casal de assaltantes anunciando o assalto do restaurante é a vinheta de abertura da trilha, seguida pelo ataque de Dick Dale com sua “Misirlou”. Tarantino afirmou que escolheu Misirlou porque lembrava as trilhas sonoras de Ennio Morricone para os filmes de “ Spaghetti Western” ( conhecido no Brasil como Bang Bang à Italiana, foi um gênero de filmes de faroeste produzidos na Itália nos anos 60 e 70), e não por ser uma surf music.

Royale With Cheese

Um dos muitos “diálogos filosóficos” entre Vincent Vega ( John Travolta) e Jules Winnfield ( Samuel L. Jackson) antes de recuperar uma mala roubada para o seu patrão, o chefão Marcellus Wallace. Realmente muda a vida do cidadão saber que o quarteirão com queijo do Macdonald’s na França se chama Royale with cheese.

Jungle Boogie – Kool & The Gang

Quebrando tudo com uma sonzeira de 1973 do Kool & the Gang.

Let’s Stay Together – Al Green

Al Green chega com seu clássico para dar um tempo na violência. “Let’s Stay Together” é a música que está tocando de fundo no bar quando Butch ( Bruce Willis) vai combinar uma derrota em uma luta de boxe com Marcellus Wallace, em troca de grana no esquema da máfia de apostas. Tarantino não poderia escolher música que se encaixasse melhor.

Bustin`Surfboards – The Tornadoes

Tarantino resgata mais um clássico da surf music para a trilha de Pulp Fiction. Os californianos do The Tornadoes comparecem com um sucesso de 1962.

Lonesome Town – Ricky Nelson

Uma tocante balada dos primórdios do rock and roll (1958), nos conta a história de uma cidade solitária para onde os amantes vão.

Son of a Preacher Man – Dusty Springfield

A gospel “Son of a Preacher Man” está tocando no som ambiente da sofisticada mansão de Mia ( Uma Thurman), quando chega o capanga de seu patrão Vincent Vega para levá-la para a balada. O sagrado e o profano.

Zed’s Ded, Baby / Bullwinckle Part ll – The Centurions

O diálogo de Butch fugindo da cidade com a sua Fabienne e mais um resgate dos tempos áureos da surf music com os também californianos do The Centurions.

Jack Rabbit Slims Twist Contest / You Never Can Tell – Chuck Berry

A cena mais icônica do filme, o concurso de dança na lanchonete temática. John Travolta e Uma Thurman fazendo história ao som de Chuck Berry.

Girl, you’ll Be a Woman Soon – Urge Overkill

Com essa versão de Neil Diamond o Urge Overkill abandonou por um tempo o circuito independente e dominou as paradas de todo o mundo.

If Love is a Red Dress ( Hang Me in Rags) – Maria MacKee

O contry rock alternativo de Maria Mackee nos brinda com a belíssima If Love is a Red Dress, mais uma garimpada de Tarantino.

Bring out the Gimp / Comanche – The Revels

Pequena vinheta lembrando a cena de tortura, um dos momentos mais pesados do filme e tome mais resgate de surf music: “Comanche”, com The Revels.

Flowers on the Wall – The Statler Brothers

Outra “pérola escondida” da memória afetiva de Tarantino. O grupo contry/ gospel Statler Brothers, de Staunton, Virgínia.

Personality Goes a Long Way

Outro diálogo impagável entre Vincent Vega e Jules Winnfield. .

Surf Rider – The Lively Ones

Mais uma banda instrumental da “turma da California”.

Ezequiel 25:17

A passagem da Bíblia que Jules declama antes de executar um traidor de Marcellus Wallace na verdade é uma livre adaptação. Apenas a parte final é de Ezequiel 25:17, o trecho a partir de “E executarei neles grandes vinganças…” Na cena, o diálogo na íntegra é esse: ” O caminho do homem justo está bloqueado por todos os lados pela iniquidade dos egoístas e a tirania dos perversos. Bendito aquele que, em nome da caridade e da boa vontade é pastor dos humildes pelo vale das sombras. Pois ele é o verdadeiro guardião dos seus irmãos e o salvador dos filhos perdidos. Exercerei sobre eles vingança terrível, furiosos castigos aos que tentarem destruir meus irmãos. E ficarão sabendo que eu sou o Senhor quando EU executar sobre eles a minha vingança”. E tome bala.

         

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

79 − 72 =