Gil & Jorge – Ogum Xangô (1975)

gil

Gil & Jorge – Ogum Xangô (1975)
por Almir Santos

Isso sim é acústico. Música livre, muita improvisação, o registro de um momento de grande inspiração de dois dos maiores gênios da música brasileira. São muitas as lendas, Cat Stevens teria participado dando uma canja nos vocais, os músicos tocaram bêbados de jurubeba. O que importa é que o encontro histórico rendeu versões transcendentais de Taj Mahal, Filhos de Gandhi, Nêga. Com mais de uma hora do registro original, a versão em CD que saiu nos anos 90 foi editada para caber nos 74 minutos do disco digital, portanto, corra atrás do vinilzão. Com o auxílio luxuoso de um percussionista e um contrabaixista, o baiano Gil e o carioca Jorge nos levam para uma viagem que vai até a Índia, invocando o Senhor do Bonfim e terminam tirando um sarro. As músicas ganham versões que chegam a mais de 10 minutos, quando Gil está no comando, Jorge improvisa um vocalize, faz um solo que o outro emenda com uma nova levada. Quando Jorge está no controle, Gil improvisa com seus gritos, sussurros, levando Ben com ele. Enfim, se você não ouviu Gil & Jorge ainda, não perca tempo. Parafraseando “Jurubeba”, esse disco é um “remédio eficaz “ contra qualquer vibração negativa.

Meu Glorioso São Cristovão:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

79 + = 80